[Latest News][6]

acidente
agressão
Amapa
Amapá
amazonas
apreensão
armas
arrombamento
assalto
atropelamento
Bahia
brasil
cocaína
condenados
destaque
detentos
droga
drogas
execução
grevistas
idoso
internacional
Itaituba
Kitsurfe
menores
motorista
navio
Óbidos
pará
Polícia Federal
Polícia Militar
politica
prefeita
prefeito
presos
recentes
reg
Regiao
região
Santarém
Saúde
traficante
Traficantes

Baixa produção de farinha de mandioca na região de Itaituba, obriga comerciantes a importar

Apesar da existência de grande potencial na agricultura e riquezas intrínsecas ao solo que a região possui, a queridinha dos Paraenses, farinha de mandioca ou 'puba', como é muito conhecida, tem baixa produção na região de Itaituba, fator que leva muitos comerciantes locais a importarem o produto de outros municípios e até mesmo de outros Estados

Na orla da cidade, onde se concentra cerca de 15 comerciantes que ofertam o produto, são vendidos mensalmente uma média de 400 sacos de farinha, por cerca de 200 reais, o que demonstra a grande demanda pelo produto que constantemente necessita de reabastecimento.

Processo de produção da farinha puba. Foto: reprodução
Contudo, apesar de não faltar, o paladar sente a diferença entre a farinha artesanal que é produzida em Itaituba, e aquela industrializada, fruto de importação. Em procura em pontos estratégicos de venda do produto na cidade, nossa equipe não encontrou a produzida na região. O que explicaria? Falta de incentivo à produção? Êxodo Rural?

Há mais de 30 anos trabalhando como vendedor do produto, um comerciante destaca que apesar da grande diferença, a farinha artesanal custa mais caro e também é mais difícil de ser encontrada.
"A farinha artesanal tem mais qualidade porque é feita de mandioca. Não tem muito produto químico, ela é pura. Os 'cara' não quer trabalhar, por isso que não traz renda pra cá por causa disso. Fica difícil de trabalhar sempre importando", enfatizou. 

Plantão 24horas News

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Start typing and press Enter to search