[Latest News][6]

acidente
agressão
Amapa
Amapá
amazonas
apreensão
armas
arrombamento
assalto
atropelamento
Bahia
brasil
cocaína
condenados
destaque
detentos
droga
drogas
execução
grevistas
idoso
internacional
Itaituba
Kitsurfe
menores
motorista
navio
Óbidos
pará
Polícia Federal
Polícia Militar
politica
prefeita
prefeito
presos
recentes
reg
Regiao
região
Santarém
Saúde
traficante
Traficantes

Hemopa já coletou o plasma de 40 voluntários para tratamento da Covid-19

Desde o mês de abril, quando o Governo do Estado e a Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia (Hemopa) iniciaram os estudos sobre o uso do plasma convalescente de pacientes recuperados do novo coronavírus, já foram coletados o plasma de 40 doadores voluntários aptos no Pará.

Desde o início da pesquisa, Hemopa atendeu 14 pacientes por meio deste tratamento experimental com autorização do Conep. Foto: Marcelo Seabra/AgPará

A técnica experimental é utilizada como estratégia de tratamento para pacientes internados na rede hospitalar do Pará. A pesquisa possui a autorização da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP). 
Segundo o presidente do Hemopa, Paulo Bezerra, 196 candidatos participaram da triagem da Fundação, dos quais 186 realizaram o teste de titulação de anticorpos.
“A missão do Hemopa é realizar a triagem, fazer a coleta e criar um estoque disponível para a demanda de solicitações das equipes médicas das redes hospitalares. Já conseguimos coletar o plasma de 40 doadores voluntários aptos por plasmaferese, alcançando um total de 80 unidades de plasma, pois cada doação resulta em duas bolsas”. 
O procedimento de plasmaferese filtra apenas o plasma do sangue do doador, onde ficam os anticorpos produzidos pelo organismo. A bolsa de plasma passa por exames específicos que vão habilitar a utilização ou não do material para transfusão, pois se faz necessária uma quantidade específica de anticorpos contra o vírus ativo. A primeira coleta do plasma realizado pelo Hemopa foi em 11 de maio de 2020. 
De acordo com a gerente de Hematologia Clínica do Hemopa, Cátia Valente, a pesquisa desenvolvida pela Fundação colocou o Pará na rota das grandes pesquisas dos Hemocentros do Brasil e do mundo.
“Dividimos a pesquisa em duas etapas: entrevista e coleta, após realização dos exames a fim de verificar se os pacientes tinham produzido anticorpos e para confirmar que não teriam mais o vírus. Já realizamos a triagem, coleta e começamos a distribuição e o acompanhamento das bolsas”, relata. 
Desde o início da pesquisa, o Hemopa atendeu 14 pacientes por meio deste tratamento experimental. As bolsas foram distribuídas para os hospitais: Santa Casa de Misericórdia (3), Barros Barreto (2), Ophir Loyola (1), Abelardo Santos (3), Hospital Materno Infantil de Barcarena (2), Hospital Regional Santarém (2) e Hospital do Coração (1). 
O jornalista Diego Beckman participa da pesquisa. Ele acompanhou por meio das redes sociais da Fundação a convocação de doadores convalescentes da Covid-19, ao completar os 30 dias sem sintomas, de imediato, procurou o Hemopa.
“Fiz a triagem, cumpri com todos os critérios e o Hemopa me informou que estava apto para fazer a doação. Ao mesmo tempo que a gente contraiu o vírus e conseguimos nos curar, também podemos ser fundamentais na recuperação de outras pessoas que ainda estão lutando pela sua vida”.
Presidente do Hemopa, Paulo Bezerra destaca que a terapia experimental é solicitada pela equipe médica do paciente e a família assina um termo de responsabilidade para que as transfusões sejam efetivadas.
“O Hemopa possui o plasma convalescente em estoque, com validade de um ano, e também conseguimos formar um importante cadastro de reserva de doadores. O material está disponível para caso haja demanda pelos médicos da rede hospitalar pública e privada. Apesar de ser um estudo experimental, a pesquisa apresentou-se como tratamento promissor. Estamos em fase de avaliação, técnica e médica, para analisar os resultados desse processo no Pará”, ressalta o presidente do Hemopa, Paulo Bezerra.
Gerente de Hematologia Clínica, Cátia Valente reitera as expectativas do titular da Fudação. “Até agora os casos que acompanhamos apresentaram bons resultados clínicos e laboratoriais”. 
CRITÉRIOS
Os voluntários devem obedecer aos seguintes critérios: homens com idade entre 18 e 60 anos, pesar mais de 55kg, ter tido exame positivo para SARS-CoV-2 por teste de PCR-RT ou teste sorológico e, ter tido a forma leve ou moderada da doença.
A doação é possível após 30 dias sem nenhuma sintomatologia decorrente da doença. Para mais informações o voluntário pode ligar para (91) 98404-9612.
Os pesquisadores do estudo optaram pela coleta de plasma de voluntários do sexo masculino, porque mulheres em condições de gestação podem vir a produzir anticorpos anti-HLA (anticorpos direcionados à antígenos leucocitários humanos), o que pode provocar algumas complicações nos receptores, entre elas, a Lesão Pulmonar Aguda Relacionada (TRALI), que pode ser letal.
Para evitar situação de eventual desconhecimento de gravidez, durante processo de triagem, pessoas do sexo feminino não farão parte da pesquisa, tendo em vista o caráter emergencial do tratamento de pacientes com a Covid-19, em estado grave.
SERVIÇO
A coleta do plasma é realizada na sede da Fundação Hemopa, na avenida Serzedelo Correa, nº 1726, esquina com a rua dos Caripunas. 
Data/Horário: O atendimento é de segunda a sexta, 7h30 às 17h30. Aos sábados, 7h30 às 17h. 
Contato: (91) 3110-6500.
Agência Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Start typing and press Enter to search