[Latest News][6]

acidente
agressão
Amapa
Amapá
amazonas
apreensão
armas
arrombamento
assalto
atropelamento
Bahia
brasil
cocaína
condenados
destaque
detentos
droga
drogas
execução
grevistas
idoso
internacional
Itaituba
Kitsurfe
menores
motorista
navio
Óbidos
pará
Polícia Federal
Polícia Militar
politica
prefeita
prefeito
presos
recentes
reg
Regiao
região
Santarém
Saúde
traficante
Traficantes

MPF denuncia 6 por dupla tentativa de homicídio contra servidores do Ibama em Placas-PA

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou à Justiça Federal seis acusados por uma série de crimes cometidos em tentativas de impedir fiscalização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em Placas, no oeste do Pará, em 15 de julho do ano passado. Na ocasião, madeireiros ilegais e seus cúmplices tentaram atear fogo em dois servidores e em um veículo da autarquia, tentaram bloquear um caminhão do Exército e ameaçaram incendiá-lo, e queimaram pontes, deixando a cidade isolada.

Os acusados Cristiano de Sousa Paiva, vulgo Metralha, e Wesley Pádua de Oliveira, conhecido como Ceguinho, foram denunciados por dupla tentativa de homicídio qualificado, com emprego de fogo, mediante emboscada e para assegurar a ocultação de outro crime. Eles também foram acusados por associação criminosa, e por dificultar fiscalização ambiental. No total, esses crimes podem acarretar até 36 anos de prisão. Wesley Pádua de Oliveira foi denunciado, ainda, por posse ilegal de arma, crime punível com até 3 anos de prisão.

Trabalhadores do setor madeireiro, revoltados com mais uma ação do Ibama, interditaram a rodovia Transamazônica, queimando as duas pontes que dão acesso à cidade de Placas.

Foram denunciados por associação criminosa e por dificultar a fiscalização ambiental, ainda, os acusados Dhavid Rafael Oliveira Vieira, Mezaque Conceição de Jesus e Gedelson Viana, e Edileuza Pereira de Oliveira foi denunciada por associação criminosa. As denúncias foram oferecidas no último dia 2.

Segundo as investigações, apesar de a serraria Nova Aliança, de Wesley Pádua de Oliveira, estar sob vários embargos do Ibama e de ter sido lacrada, no dia da fiscalização foi detectado que os lacres tinham sido rompidos e que a empresa estava funcionando normalmente. Na madeireira houve um início de tensão e os fiscais foram acuados por um grupo que se encontrava na empresa. 

Os dois servidores decidiram ir buscar apoio do Exército. Ao sair da empresa, a viatura do Ibama foi perseguida pelo grupo, que utilizava motocicletas e um caminhão carregado com madeira. Dirigido por Cristiano de Sousa Paiva, o caminhão emboscou o veículo do Ibama, fechando o caminho e impedindo a passagem. Em seguida, Metralha desceu da boleia, pegou galões de combustível e pneus velhos na carroceria do caminhão e passou a derramar o líquido no veículo da autarquia ambiental, que só não foi incendiado porque os fiscais conseguiram manobrá-lo rapidamente e fugir.

Mais violência

Mesmo após o Ibama já ter conseguido apoio do Exército, o grupo da madeireira de Ceguinho não se intimidou. Segundo depoimentos aos investigadores, por três vezes Metralha jogou o caminhão carregado de madeira para cima do caminhão do Exército em trânsito, na tentativa de fazer com que o veículo militar saísse de uma rodovia.

Enquanto os servidores do Ibama estavam depondo na delegacia de polícia de Placas, o grupo da serraria voltou a ameaçar atear fogo no veículo do Ibama e, desta vez, também no caminhão do Exército. Um dos ameaçadores chegou ao local com uma caminhonete com vários galões de combustível. Foi preciso que os militares engatilhassem suas armas para evitar que o grupo se aproximasse do caminhão do Exército.

Os servidores do Ibama permaneceram sitiados na delegacia das 11h às 23h, e só conseguiram deixar o local após negociação com uma comissão de moradores. Durante o dia, as pontes de madeira de duas saídas da cidade foram queimadas.
“Cristiano capitaneia, na região, verdadeira resistência às ações fiscalizatórias realizadas pelo Ibama, sendo incitador de ações violentas. Já foi autuado anteriormente, e suas ações importaram, sem dúvidas, em forte clima de tensão diante da violência perpetrada com auxílio de terceiros, o que pode ser indicativo de existência de verdadeira associação criminosa em plena ação na região”, destaca o MPF na denúncia.   

Fonte: Ascom do MPF no Pará.

Processo 1003827-67.2020.4.01.3902

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Start typing and press Enter to search