[Latest News][6]

acidente
agressão
Amapa
Amapá
amazonas
apreensão
armas
arrombamento
assalto
atropelamento
Bahia
brasil
cocaína
condenados
destaque
detentos
droga
drogas
execução
futebol
grevistas
idoso
internacional
Itaituba
Kitsurfe
menores
motorista
navio
Óbidos
pará
Polícia Federal
Polícia Militar
politica
prefeita
prefeito
presos
recentes
reg
Regiao
região
Santarém
Saúde
traficante
Traficantes
ufc

Brasil se torna país com maior número de recuperados da Covid-19 no mundo

O Brasil se tornou o país do mundo com mais recuperados após infecções pelo novo coronavírus, segundo o painel atualizado em tempo real pela universidade americana Johns Hopkins. O vírus é o causador da Covid-19.

Às 5h desta quinta-feira (horário de Brasília), a contagem mostra o Brasil à frente dos Estados Unidos no ranking de recuperados: com 660.469 pacientes que já eliminaram o vírus, ante 656.161 registrados em território americano.

A lista das nações com maiores registros de pacientes em alta, após terem testado positivo, segue com Rússia (374.557) e Índia (271.697). Ao todo, o mundo soma no momento 4.753.804 pessoas recuperadas do novo coronavírus, entre casos confirmados, segundo o painel em tempo real da Johns Hopkins.

Imagem reproduzida da internet.
Os números compilados pela Johns Hopkins são atualizados várias vezes no mesmo dia. Segundo a universidade, os dados vêm de fontes como a OMS (Organização Mundial da Saúde) e autoridades de saúde de diferentes países.

Divergências na contagem de recuperados dos EUA

A Johns Hopkins é uma das poucas instituições que conta nacionalmente o número de recuperados nos Estados Unidos e há registros divergentes para esse dado. O site World Meter, que também atualiza dados sobre o vírus em tempo real com levantamento de diversas fontes, dá um número bem diferente de recuperados: 1.040.608 nos EUA e 649.908 no Brasil.

Não há informações sobre o total de recuperados por país no painel em tempo real da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do CDC, órgão do governo americano que divulga dados sobre a doença.

Em entrevista à CNN em abril, Douglas Donovan, porta-voz da Johns Hopkins, comentou a falta uniformidade nos dados americanos sobre recuperações, que não são considerados prioritários pelo CDC. Segundo especialistas, esses números podem ser imprecisos.
"Não existe um método uniforme para relatar recuperações nos Estados Unidos. Se isso mudar, o painel refletirá esses números de acordo", disse Donovan. Ele reconheceu que contagens de recuperados são feitas com "estimativas em nível de país com base em relatórios da mídia local e podem ser substancialmente inferiores ao número real".

Mundo caminha para 10 milhões de casos e 500 mil mortes

O painel atualizado em tempo real pela universidade Johns Hopkins mostra que o mundo caminha para atingir as marcas de 10 milhões de casos e 500 mil mortes nos próximos dias.

No momento, já foram registradas 9.439.996 casos confirmados em todo o planeta, segundo a Johns Hopkins. Os Estados Unidos lideram essa estatística (com cerca de 2,3 milhões de casos), seguidos pelo Brasil (1,1 milhão), Rússia (613 mil) e Índia (473 mil).
Até aqui, foram contabilizadas 482.914 mortes relacionadas ao vírus. Os países com mais óbitos são, na ordem, os Estados Unidos (cerca de 122 mil), seguidos pelo Brasil (53 mil), Reino Unido (43 mil) e Itália (34 mil).

Em todo o mundo, autoridades de saúde acreditam haver uma considerável subnotificação em relação aos casos e óbitos registrados em decorrência do vírus, considerado uma pandemia desde março pela OMS.

CNN Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Start typing and press Enter to search