[Latest News][6]

acidente
agressão
Amapa
Amapá
amazonas
apreensão
armas
arrombamento
assalto
atropelamento
Bahia
brasil
cocaína
condenados
destaque
detentos
droga
drogas
execução
grevistas
idoso
internacional
Itaituba
Kitsurfe
menores
motorista
navio
Óbidos
Polícia Federal
Polícia Militar
prefeita
prefeito
presos
recentes
reg
Regiao
região
Santarém
traficante
Traficantes
O MELHOR DA TV ACABO PARA SUA DIVERSÃO
SUA SORTE LHE AGUARDA, VEM PRO ITA FELIZ!

"Ele agarrou meu pescoço, tapou minha boca, e disse que se eu gritasse, iria morrer" relata Itaitubense sobre episódio de pavor


Uma situação até então atípica em Itaituba, ocorreu na manhã da última quinta-feira (21), na residência de Beatriz, de 19 anos, localizada no bairro Jardim das Araras. Narrado e vivido por Beatriz, que preferiu não se identificar por foto, o texto abaixo, na íntegra, mostra o momento de pavor vivenciado por ela.

Imagem meramente ilustrativa
Confira o relato da jovem Itaitubense 

Hoje infelizmente não foi um bom dia pra mim. Quando meu esposo saiu pra trabalhar pela manhã, como sempre ele deixou a porta de casa só encostada e os portões fechados no cadeado. Por volta das 9h13 eu havia acabado  de me levantar da cama e minha bebê estava dormindo. Eu fui em direção à sala vi que meu esposo já tinha saído para o serviço, daí continuei andando até a cozinha, mas escutei um barulho abrindo a porta da sala e corri pra ver o que era. Quando cheguei na sala, já me deparei com um homem, fique bastante nervosa, ele perguntou por um homem que não sei quem é e nem lembro o nome que ele havia dito. Pedi para que ele saísse, ele perguntou se havia alguém na casa e eu nervosa falei que tinha sim. 

Muito rapidamente ele disse não não, tem não! Ele rapidamente agarrou no meu pescoço e a mão na minha boca e disse que se eu gritasse ele ia me matar, mas mesmo assim consegui gritar pedindo ajuda. Ele dizia o tempo todo que ia me matar se eu não calasse e eu continuava há gritar. Mesmo com a mão na minha boca, eu consegui gritar, até que minha bebê acordou e levantou chorando em direção à salan daí ele ouviu o chorro, olhou para trás e viu ela chorando. 

Quando viu minha bebê olhando e chorando, gritei mais por ajudar; aí ele me deu um empurrão e saiu correndo pulando o muro da mesma forma que havia entrado. Mesmo assim gritava até que os vizinhos ouviram e me ajudaram. Graças a Deus que ele não conseguiu fazer nada comigo e nem com minha bebê. Gente ele é gordo, branco, altura média e ele tava de bermuda jens camiseta azul clara. A moto que ele tava era uma Bros vermelha com branca.

Plantão 24horas News

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Start typing and press Enter to search