[Latest News][6]

acidente
agressão
Amapa
Amapá
amazonas
apreensão
armas
arrombamento
assalto
atropelamento
Bahia
brasil
cocaína
condenados
destaque
detentos
droga
drogas
execução
grevistas
idoso
internacional
Itaituba
Kitsurfe
menores
motorista
navio
Óbidos
Polícia Federal
Polícia Militar
prefeita
prefeito
presos
recentes
reg
Regiao
região
Santarém
traficante
Traficantes

NOTÍCIAS

Mulher é condenada a 12 anos e outra a 7 anos e 7 meses de prisão em Novo Progresso



O Tribunal do Júri Popular da Vara Criminal da Comarca do munícipio de Novo Progresso, encerrou a temporada 2019 com dois julgamentos realizados sucessivamente, nos dias 03 e 04 de outubro, onde Keila Regina Silva Moreira e Jaiane Silva de Jesus, sentaram no banco dos réus.

Foto: Jorge Tadeu
1º Caso

Keila Regina Silva Moreira, assumiu ter matado Josiel Rodrigues Brasil da Silva, com uma facada, nas margens do Lago Municipal, no Carnaval de 2017. A acusada teria o matado por vingança pelo fato da vítima ter lhe esfaqueado dias antes. Os jurados acolheram as teses da acusação, condenando-a por homicídio duplamente qualificado. A sentença final fixou pena de 12 anos de reclusão a ser cumprida inicialmente em regime fechado.

2º Caso

Jaiane Silva de Jesus, confessou ter matado seu esposo, João Batista Costa da Silva, com um tiro de espingarda na cabeça enquanto este estava deitado numa rede. O motivo seria o fato do seu companheiro ter colocado fim no relacionamento. Os jurados acolheram as teses da defesa, condenando-a por homicídio qualificado privilegiado, ou seja, matou sob sem dar chance de defesa à vítima, sob forte emoção. A sentença final fixou pena restante em 07 anos e 07 meses de reclusão a ser cumprida inicialmente no regime semi-aberto.

Foto: Jorge Tadeu
Em ambos os casos, a sessão foi presidida pela Exma. Juíza de Direito Titular da Vara Criminal da Comarca de Novo Progresso, Dra. Liana da Silva Hurtado Toigo. Na acusação, atuou o Promotor de Justiça da Comarca do munícipio, Dr. Gustavo de Queiroz Zenaide. Pela defesa, como defensor dativo, atuou o advogado Dr. Edson da Cruz da Silva.

Fonte: Folha do Progresso 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Start typing and press Enter to search