[Latest News][6]

acidente
agressão
Amapa
Amapá
amazonas
apreensão
armas
arrombamento
assalto
atropelamento
Bahia
brasil
cocaína
condenados
destaque
detentos
droga
drogas
execução
grevistas
idoso
internacional
Itaituba
Kitsurfe
menores
motorista
navio
Óbidos
Polícia Federal
Polícia Militar
prefeita
prefeito
presos
recentes
reg
Regiao
região
Santarém
traficante
Traficantes

NOTÍCIAS

Escândalo do lixo em Rurópolis ganha um novo "Capítulo"; Juizado determina indisponibilidade de bens do atual prefeito.

Foi determinado pelo judiciário a indisponibilidade de bens do atual prefeito TAKÁ, da empresa A. F. TRANSPORTES, atual vencedora do procedimento licitatório na modalidade concorrência nº 02/2019 (COLETA DE LIXO E RESIDUOS E DISTRIBUIÇAO DE ÁGUA), dentre outros, totalizando  valores milionários que chegam próximo de 8 oito milhões de reais. 

Caso a população não se recorde mais, já foi amplamente divulgada em blogs, precisamente em dezembro de 2018 com a seguinte manchete: “MP PEDE INDISPONIBILIDADE DE BENS DE QUASE OITO MILHÕES POR INDÍCIOS DE FRAUDES NA PREFEITURA MUNICIPAL DE RURÓPOLIS” (Fonte: G1PA – BELEM), informando indícios de fraudes em procedimentos licitatórios no município, com de desvios de dinheiro público, que culminaram com demandas judiciais por ATO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA COM TRÊS AÇÕES, essas que gerou os processos: 0800312-24.2018.8.14.0073, 080031309.2018.8.14.0073, 0800314-91.2018.8.14.0073. Trata-se de “AÇÕES E INQUÉRITOS NO ÂMBITO DA JUSTIÇA ESTADUAL E MINISTÉRIO PÚBLICO POR DANO AO ERÁRIO, ENRIQUECIMENTO ILÍCITO E, VIOLAÇÃO AOS PRINCÍPIOS ADMINISTRATIVOS”, com escopo na atuação de autoridades e titulares de cargos públicos do município de Rurópolis, e pessoas físicas e jurídicas investigados por fraudes financeiras e atos lesivos ao interesse público, enquadráveis na Lei 8.429/92 e Lei 9.631/98, e crimes de improbidade administrativa, lavagem de dinheiro ou ocultação de bens, direitos ou valores oriundos de corrupção, formação de quadrilha (art. 288 do Código Penal), corrupção passiva (art. 317 do Código Penal), crimes contra a Lei de Licitações (Lei 8.666/93) e corrupção ativa (art. 333 do Código Penal). 

Dando destaque para a ocorrência de informações privilegiadas em processos licitatórios. As ações investigam indícios de direcionamento ou superfaturamento em processos licitatórios e pedindo indisponibilidade de bens que totalizam a soma R$ 7,9 milhões de reais. Segundo o MP, os procedimentos foram vencidos pela empresa A. F TRANSPORTES.

Fonte: Plantão 24horas News

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Start typing and press Enter to search