Filha procura pelo pai que trabalhava na região garimpeira de Itaituba o qual não vê há 32 anos

Filha procura pelo pai que trabalhava na região garimpeira de Itaituba o qual não vê há 32 anos

Olga Cristina Oliveira de Moura, que atualmente reside no município de Santarém, está a procura do pai, o senhor José Arimatéa Moura, de 66 anos, natural de Portelândia-GO, o qual não vê há 32 anos. Informações dão conta de que seu José, também conhecido pelo apelido de Goiano, trabalhava na região garimpeira de Itaituba.

José Arimatéa Moura, de 66 anos

Em conversa com a redação do Plantão, Olga disse que não chegou a conhecer seu pai, pois quando a mãe se separou dele, ela ainda era bebê, isso há mais de 30 anos. Com a descoberta recente de que o pai possa estar vivo, uma vez que a própria mãe, Antônia Oliveira de Moura, que ainda continua casado com ele, havia dito que ele tinha morrido, Olga então decidiu procurá-lo.

Antônia Oliveira de Moura e José Arimatéa Moura

"A minha mãe dizia: "Ah, teu pai morreu". Toda vez que eu perguntava pelo meu pai, ela sempre dizia isso. Ela sempre falava isso pra mim. Quando foi agora recente, com informações de que tinham visto meu pai, eu pressionei pra ela falar a verdade, daí ela disse que ele não tinha morrido não. Eu tinha 7 anos quando ele veio atrás da minha mãe, mas eu não vi ele" contou Olga.

Informações de um tio, dão conta de que o pai dela trabalhava no garimpo Água Branca e em outro garimpo próximo, que não soube dizer o nome com exatidão, mas acredita se chamar Alto Alegre. Ainda de acordo com Olga, a última vez que seu pai foi visto, teria sido nas proximidades da comunidade Itapacurazinho.

Caso alguém saiba de alguma informação precisa da localização do pai de Olga, entre em contato com ela pelo Whatsapp (93) 99161-5398.

Fonte: Plantão 24horas News

Postar um comentário

0 Comentários