“O Governo é o maior responsável pelo garimpo ilegal(…)” diz vereador

“O Governo é o maior responsável pelo garimpo ilegal(…)” diz vereador

O vereador  Wescley Tomaz, vereador de Itaituba, pronunciou-se em seu Facebook, sobre a reportagem da Rede Globo apresentada no Fantástico que tratou sobre a garimpagem na região sudoeste do Estado do Pará, destacando a exploração ilegal de ouro na bacia do rio Tapajós.


Durante seu discurso, Wescley mostrou um impresso com dados fornecidos pelo antigo Departamento Nacional de Produção Mineral – DNPN e atual Agência Nacional de Mineração – ANM, que segundo Tomaz embasa sua afirmação “O Governo é o maior responsável pelo garimpo ilegal no sudoeste do Pará”, pois existem mais de 33 mil processos que foram enviados para apreciação pelos servidores da agência, porém, devido à muita burocracia, nunca saiu do papel.

Wescley acrescentou que a Globo escolheu realizar a gravação por Brasília a buscar a agência, porque não possui conhecimento a respeito da “nossa realidade”. Segundo Tomaz, o Governo tenta fechar a unidade da ANM, em Itaituba, desde 2017, a qual é a principal unidade da região do Tapajós, ao invés de garantir melhorias na estrutura do órgão e questiona “Como quer ter garimpo legalizado se aqui não tem estrutura nenhuma?”

Continua, “de 2017 até 2019 a gente perdeu as contas de quantas vezes tivemos em Brasília visando dar mais delegação de competência, transformar realmente esta agência em uma unidade avançada” esboçando que houveram muitas tentativas de melhorar a situação da unidade responsável pela regularização da garimpagem da região, mas sem resultados.

Destaca ser uma “vergonha” para Eduardo Leão, diretor da Agência Nacional de Mineração, colocado recentemente no cargo, o qual retirou a competência de delegação da agência de Itaituba exigindo que os garimpeiros, os quais realizam suas atividades em Itaituba, dirijam-se à Belém para regularizar suas atividades, sendo que existe, atualmente, mais de 5 mil processos parados na capital “há décadas”.

Além disso, segundo Tomaz, os garimpeiros não conseguem regularizar suas atividades devido ao órgão responsável não ter estrutura e anuncia que será cobrada audiência no mês de agosto na comissão de Minas e Energia para convocar a ANM para verificar o que se deseja com a “nossa região”.

Veja o pronunciamento na íntegra: Clicando aqui.

Portal giro 

Postar um comentário

0 Comentários