[Latest News][6]

acidente
agressão
Amapa
Amapá
amazonas
apreensão
armas
arrombamento
assalto
atropelamento
Bahia
brasil
cocaína
condenados
destaque
detentos
droga
drogas
execução
grevistas
idoso
internacional
Itaituba
Kitsurfe
menores
motorista
navio
Óbidos
Polícia Federal
Polícia Militar
prefeita
prefeito
presos
recentes
reg
Regiao
região
Santarém
traficante
Traficantes

NOTÍCIAS

Em Itaituba: Caseiro é assassinado de forma cruel em Balneário; Entenda o caso

Evaldo Muo Munduruku (de idade não revelada), conhecido por “Índio”, foi assassinado de forma cruel e sem nenhuma chance de defesa, recebendo um disparo de espingarda cartucheira no rosto e várias pauladas, também na cabeça e pelo corpo. 


O indígena da etnia Mundurukú foi surpreendido por volta das 20h da última terça-feira (07) no local onde trabalhava como caseiro, o balneário Fonte Azul, a 13 km de Itaituba, na rodovia Transamazônica. O homem estava sozinho e, segundo supõe a polícia, foi dominado e assassinado fria e cruelmente.


Na casa onde Evaldo morava, foram encontradas gavetas e roupas pelo chão, e a cozinha do balneário também foi revirada. 

A primeira hipótese é de latrocínio, uma vez que, às proximidades de uma saída no fim do muro do balneário, foi encontrada uma ‘trouxa’ com vários alimentos e outros víveres que estavam sendo levados pelo bandido (ou bandidos). A polícia fez buscas pelo local e, para sua surpresa, encontrou uma outra sacola com gêneros que foram furtados do local cerca de vinte e cinco dias atrás, o que leva a crer que provavelmente sejam as mesmas pessoas.


Com informes coletadas junto ao arrendatário do balneário, a polícia estabeleceu uma linha de investigação a partir das características do crime, adotando a hipótese de latrocínio. Também foram vistos rastros de pessoas e de bicicleta na mesma trilha que acredita-se que tenha sido tomada pelos matadores de Evaldo.


O corpo do indígena foi removido para o Instituto Renato Chaves (IML) para os procedimentos de praxe. Ao ser liberado, o corpo foi velado na distribuidora Mercadoria, de propriedade de Agnaldo Mercadoria, arrendatário do balneário.


No local, o clima era de dor e comoção dada à crueldade com que o crime foi cometido e pela pessoa que era Evaldo Mundurukú. O sepultamento aconteceu às 17h desta quarta-feira (08). O delegado Ricardo Vieira preside o inquérito que apura o caso.


Fonte: http://plantao24horasnews.com.br com informações  do Repórter  Mauro Torres

2 comentários

  1. Como um cara ou os caras tem coragem de fazer isso com uma pessoa que trabalha e não faz mal a ninguém só pra roubar alimentos o dinheiro. Isso não tem lógica espírito de porco uma pessoa dessa.muito triste revoltante

    ResponderExcluir
  2. Era uma pessoa muito humilde muito gente boa, eu o conhecia meu Deus q horror.m

    ResponderExcluir

Start typing and press Enter to search