[Latest News][6]

acidente
agressão
Amapa
Amapá
amazonas
apreensão
armas
arrombamento
assalto
atropelamento
Bahia
brasil
cocaína
condenados
destaque
detentos
droga
drogas
execução
grevistas
idoso
internacional
Itaituba
Kitsurfe
menores
motorista
navio
Óbidos
Polícia Federal
Polícia Militar
prefeita
prefeito
presos
recentes
reg
Regiao
região
Santarém
traficante
Traficantes
O MELHOR DA TV ACABO PARA SUA DIVERSÃO
SUA SORTE LHE AGUARDA, VEM PRO ITA FELIZ!

Auditoria Geral do Estado recomenda prisão preventiva de Simão Jatene; ex-governador do PA nega acusações

De acordo com o órgão, que fiscaliza atos governamentais, Jatene e ex-secretários estaduais de obras são investigados por um suposto esquema de desvio de dinheiro do programa Asfalto na Cidade.

Foto: Antônio Silva/Agência Pará
A Auditoria Geral do Estado (AGE) recomendou ao Ministério Público do Pará (MPPA) e à Polícia Civil a prisão preventiva do ex-governador Simão Jatene e de ex-secretários estaduais de obras. O MPPA e a Polícia ainda não se manifestaram sobre o pedido. O ex-governador disse, em nota, que "lamenta o uso político-partidário de um órgão, que em um passado recente foi reconhecido por isenção e transparência".

Segundo o órgão, que fiscaliza ações e atos governamentais no PA, Jatene e os ex-titulares da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop) teriam formado um suposto esquema de desvio de dinheiro do programa Asfalto na Cidade.

De acordo com nota divulgada nesta segunda-feira (29), a AGE instaurou uma investigação preliminar para apurar indícios de mau uso do dinheiro público no programa, criado na administração de Jatene, a fim de melhorar a malha viária dos municípios.

Somente em 2018, o Asfalto na Cidade consumiu R$360 milhões, segundo a AGE.
"Durante fiscalização in loco, os auditores confirmaram diversas irregularidades, como obras não executadas ou não concluídas, mesmo com as empresas responsáveis já tendo recebido os valores respectivos", informou o órgão.

O caso foi denunciado ao MPPA e à Polícia Civil. Um inquérito policial é comandado pela Divisão de Investigação e Operações Especiais (Dioe). Segundo a AGE, a prisão dos investigados é para evitar a destruição de possíveis provas.

Outro lado
O ex-governador Simão Jatene divulgou uma nota dizendo que "jamais conduziu qualquer ação, quer contratação de empresas construtoras, quer para os pagamentos". Confira nota na íntegra:

"A acusação feita pela AGE, órgão atualmente ligado diretamente ao governador Helder Barbalho, comandada por um dos advogados da campanha do MDB, é absurda e descabida e sem nenhum fundamento. O ex-governador Simão Jatene jamais conduziu qualquer ação, quer para contração das empresas construtoras, quer para os pagamentos.

Trata-se, portanto, de mais um factoide com dupla intenção: desviar a atenção da população pela falta de obras do atual governo - que vem "inaugurando" obras executadas pela gestão anterior e, com a "denúncia", deixa clara a intenção de tentar atingir politicamente o ex-governador Simão Jatene.

O programa Asfalto na Cidade existe desde 2003, e já mudou pra melhor a paisagem de dezenas de cidades. O ex-governador Simão Jatene lamenta o uso político-partidário de um órgão, que num passado recente foi reconhecido por sua isenção e transparência."

Agência Pará 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Start typing and press Enter to search