[Latest News][6]

acidente
agressão
Amapa
Amapá
amazonas
apreensão
armas
arrombamento
assalto
atropelamento
Bahia
brasil
cocaína
condenados
destaque
detentos
droga
drogas
execução
grevistas
idoso
internacional
Itaituba
Kitsurfe
menores
motorista
navio
Óbidos
Polícia Federal
Polícia Militar
prefeita
prefeito
presos
recentes
reg
Regiao
região
Santarém
traficante
Traficantes

NOTÍCIAS

Parápaz vai ampliar ações para espalhar ‘cultura de paz’

“Queremos que a cultura de paz chegue em todos os cantos de nosso Estado, que alcance indistintamente cidadãos e cidadãs”, explica a pedagoga Ray Tavares, presidente da Parápaz, a nova denominação da Fundação Pro Paz. O órgão estadual é responsável pela formulação, coordenação, implementação, fomento, articulação, alinhamento e integração das políticas públicas voltadas à infância, adolescência e juventude e às pessoas em situação de vulnerabilidade social, por meio de ações de prevenção, redução e solução de conflitos.


“Que os mais vulneráveis possam sentir a presença do Governo Helder Barbalho, por meio de uma política de inclusão social consistente e efetiva”, concluiu Tavares, sobre a missão do programa. A partir de agora, a ParáPaz ampliará as ações desenvolvidas atualmente pela Fundação. No atendimento às mulheres, por exemplo, as atividades irão além da capacitação. A ideia é a de estimular as vítimas de violência a se tornarem empreendedoras, montarem o próprio negócio para que, assim, saiam da dependência econômica que, muitas vezes, as mantêm ligadas ao agressor.

Outra ação efetiva será a de trabalhar junto aos agressores para que revejam seus comportamentos e passem a adotar novas formas de conduta. “Ele precisa entender a gravidade do seu ato, não naturalizar a violência, ser responsabilizado pelo que cometeu e, principalmente, não reincidir”, explica Ray Tavares.

A inclusão digital também será uma ação estratégica para disseminar a chamada “cultura de paz”. A Parápaz intensificará as atividades na área, para que mais crianças e adolescentes tenham acesso às tecnologias de informação e comunicação (TICs) e, assim, estejam aptas a usufruir de todos os benefícios que as TICs oferecem, incluindo o uso das informações disponíveis na rede mundial de computadores e a realização de pesquisas.

O combate e a prevenção ao uso de drogas por parte de crianças, adolescentes e jovens terá destaque na nova configuração da Parápaz. O consumo de substâncias ilícitas tem levado à destruição de famílias e ao aumento dos casos de violência no Brasil, daí o trabalho preventivo que será feito pela Fundação por meio do projeto “Não às Drogas”, cujas ações abrangerão os territórios de pacificação que o Governo do Pará implantará no Estado.

Integração – A Fundação Parápaz seguirá atuando na promoção das políticas integradas, visando o combate da exclusão social, desenvolvendo ações de turno complementar escolar por meio da arte, cultura, educação, esporte e lazer, e fomentando atividades no âmbito escolar para a promoção da cultura de paz. Outras finalidades do órgão envolvem a articulação, integração e o fomento da política de juventude para o fortalecimento do protagonismo juvenil e a prevenção da violência juvenil.

Também faz parte da missão do órgão o estímulo à geração de emprego, renda e promoção da cidadania para jovens; o fortalecimento da rede de garantia de direitos por meio da articulação e capacitação dos seus atores; e o apoio a iniciativas da sociedade civil organizada que sejam compatíveis com o objetivo do Programa. Compete à Parápaz, ainda, coordenar os serviços integrados de atendimento à criança, ao adolescente e à mulher vítima de violência, e coordenar ações itinerantes de cidadania, visando o atendimento integrado nas áreas da proteção, promoção e defesa social.

Juventude – Promover a inclusão e o desenvolvimento social da juventude na faixa etária de 18 a 29 anos, em situação de vulnerabilidade social, é uma das principais finalidades das ações voltadas a esse público. Os jovens recebem qualificação profissional por meio de cursos na modalidade Formação Inicial Continuada (FIC), visando prepará-los para o ingresso no mercado de trabalho. Eles também podem obter documentos como a Identidade Jovem (ID Jovem), do Governo Federal, que garante meia-entrada em eventos artístico-culturais e esportivos, e vagas gratuitas ou com desconto no sistema de transporte coletivo interestadual em 34 cidades localizadas em todas as regiões de integração do Pará. É no âmbito do Juventude que ocorrerá o projeto “Não às Drogas”.

Atendimento integrado – Com presença em todas as regiões do Pará, a ação Integrada do Programa é o principal serviço destinado a crianças, adolescentes, mulheres e familiares em situação de violência. O atendimento visa a redução dos danos físicos e psíquicos causados a este público. Um dos serviços garantidos nesse atendimento é a emissão de laudos para contribuir com o trabalho da Polícia e do Judiciário na responsabilização do agressor.

O atendimento integrado é garantido em Belém e em Ananindeua, onde se encontram Unidades específicas ao público feminino, e também nas regiões do Xingu, Guajarina, do Lago, Baixo Amazonas, Bragantina, Marajó e Sudeste do Pará. Há, ainda, atendimento integrado na Santa Casa de Misericórdia e no CPC Renato Chaves, na capital paraense.

Enem – Uma parceria com a Secretaria de Estado e Educação (Seduc) possibilita a realização de aulões presenciais preparatórios para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) em municípios paraenses. Os aulões também chegam às pessoas privadas de liberdade, o que foi possível por meio de uma parceria com a Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe). Uma parceria com a Fundação de Telecomunicações do Pará (Funtelpa) viabilizou a gravação de programas exibidos na grade de programação da TV Cultura.

Diversidade – Articular e fomentar políticas públicas voltadas à população lésbica, gay, bissexual, travesti, transexual e intersexual (LGBTI+) é o objetivo do Diversidade, que atua em parceria com outros órgãos do Governo do Estado para que as ações cheguem aos municípios paraenses, especialmente as que promovem uma cultura de paz entre as pessoas para prevenir as diversas formas de preconceitos e discriminações que sofrem os LGBTI+.

Ação nos bairros – Voltadas às crianças, adolescentes e jovens na faixa etária de 8 a 18 anos que vivem em bairros vulneráveis, as Unidades da Fundação estão hoje no Mangueirão, Sacramenta, Guamá, Terra Firme, Distrito de Outeiro e nos municípios de Ananindeua, Marituba, Santa Bárbara, São Francisco do Pará e Santarém. Nesses locais, há atividades pedagógicas, esportivas e artísticas no contraturno escolar e, além dos alunos regularmente atendidos, a comunidade também recebe atenção com ações como encaminhamentos para Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e Especializado de Assistência Social (Creas), atendimento psicológico, atividades esportivas e cursos de qualificação profissional.

Cidadania – Por meio do Cidadania se leva serviços itinerantes aos municípios do Estado do Pará como emissão de documentos, atendimento médico, odontológico, dentre outros serviços.
Mover – A Fundação também promove a valorização do Estatuto da Criança e do Adolescente por meio de ações que possibilitam a articulação e a integração entre órgãos do Poder Executivo, Legislativo, Judiciário e a sociedade civil, visando a implantação e o fortalecimento do Sistema de Garantia de Direitos de Crianças e Adolescentes. O Movimento pela Valorização do Estatuto da Criança e do Adolescente (MOVER) tem ações nos 144 municípios paraenses.


Fonte: Blog Plantão 24horas News  em parceria com Agência Pará.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Start typing and press Enter to search