[Latest News][6]

acidente
agressão
Amapa
Amapá
amazonas
apreensão
armas
arrombamento
assalto
atropelamento
Bahia
brasil
cocaína
condenados
destaque
detentos
droga
drogas
execução
grevistas
idoso
internacional
Itaituba
Kitsurfe
menores
motorista
navio
Óbidos
Polícia Federal
Polícia Militar
prefeita
prefeito
presos
recentes
reg
Regiao
região
Santarém
traficante
Traficantes

NOTÍCIAS

'Março com Rosas' combate a violência contra a mulher

No próximo sábado (9), a Polícia Civil (PC) inicia a operação "Março com Rosas". A iniciativa, que visa o enfrentamento à violência doméstica contra a mulher em todo Estado, é da Diretoria de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAV). As atividades envolvem todas as Delegacias Especializadas no Atendimento à Mulher (Deams) da capital, região metropolitana e interior.


A mobilização é alusiva ao dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher. A meta, segundo a delegada Priscila Morgado, diretora de atendimento a grupos vulneráveis da PC, é responsabilizar criminalmente 700 suspeitos de crimes relacionados à violência doméstica e familiar contra mulheres no Pará e encaminhar os processos à Justiça.

Em todas as Deams será realizado um grande mutirão para dar celeridade aos inquéritos policiais de violência doméstica e familiar. A operação conta ainda com atividades educativas, como palestras e orientações, que serão repassadas às mulheres durante este mês pelas delegadas titulares das unidades especializadas. "O silêncio, seja das mulheres, sociedade ou instituições, é o maior cúmplice da violência", afirma Priscila.

A programação terá início no próximo dia 9, quando as Deams do interior paraense começarão, de forma simultânea, as ações. Nos dias 19 e 30, o mutirão será realizado pela Deam de Ananindeua; já nos dias 23 de março e 6 de abril, será a vez da Deam de Belém.

A delegada destaca que ações como essa ajudam a combater a impunidade e a evitar que crimes mais graves possam vir a ocorrer com as mulheres, entre os quais, o feminicídio – assassinato da mulher por sua condição feminina.

“A violência (contra a mulher) se inicia com injúrias, ameaças e lesões corporais. Nosso intuito é incentivar essa mulher (vítima da violência) a procurar a Delegacia e registrar a ocorrência, enquanto a agressão é considerada leve, para que no futuro ela não seja vítima de feminicídio”, concluiu Priscila.

Walrimar Santos/ Ascom Polícia Civil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Start typing and press Enter to search