Com 80% das obras concluídas, Hospital Regional do Tapajós deve ser entregue em dezembro

Descentralizar as ações em saúde no Estado com atendimento médico de qualidade em hospitais de referência cada vez mais perto do cidadão. Essa é a proposta do governo estadual ao ampliar o número de leitos em todas as 12 regiões de integração, evitando o deslocamento até os centros com mais recursos em medicina. 


A implantação do Hospital Regional do Tapajós/HRT está inserida no contexto de ampliação e modernização gerencial e tecnológica dos serviços de saúde, em andamento no Estado e está prevista no planejamento estratégico da Secretaria de Estado de Saúde Pública – Sespa. 

"Os hospitais regionais têm uma função importante em cada uma das localidades onde são instalados. A descentralização dos serviços de saúde é prioridade da atual gestão, pois garantimos atendimento à população sem a necessidade de se deslocarem para a capital. Além da qualidade dos serviços prestados, levamos aos municípios a oferta de especialidades médicas de suma importância. Outro fator relevante são os procedimentos feitos nesses hospitais, como exames e cirurgias de alta complexidade. Hoje realizamos transplante renal e expandimos o serviço de hemodiálise no Hospital Regional Público do Araguaia (HRPA), em Redenção – assim como o Estado também oferece tratamento de câncer no Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém, e por meio da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia Dr. Vitor Moutinho (Unacon), em Tucuruí”, ressaltou o secretário Estadual de Saúde, Vítor Mateus.

De acordo com o cronograma, o município de Itaituba está prestes a receber o Hospital Regional do Tapajós, obra que dispõem de estrutura física com seis pavimentos onde  a execução de serviços atinge 83%, com investimentos aplicados no valor de um pouco mais de R$ 148 milhões, recursos da Caixa Econômica Federal (CEF). A entrega da obra civil tem previsão em dezembro de 2018.

O empreendimento em Itaituba apresenta as mesmas características de empreendimento hospitalar do Hospital Doutor Abelardo Santos, em Icoaraci, na Região Metropolitana de Belém, com 10 andares e capacidade para 269 leitos. A obra já atingiu mais 90%, com previsão de entrega da obra física em novembro de 2018.

“No início da gestão, o Estado possuía apenas três grandes hospitais de média e alta complexidade, todos em Belém (Fundação Santa Casa de Misericórdia, Hospital das Clínicas e Ophir Loyola). Com a finalização das obras em curso, teremos mais de 20 cobrindo todas as regiões do Estado”, reiterou o governador por ocasião da visita às obras na região sudoeste do Pará.

O secretário adjunto de obras da Sedop, Arnaldo Dopazo, destacou a seriedade da administração em concluir mais um hospital de alta e média complexidade, apesar do período de crise que o país enfrentou recentemente, “a descentralização do atendimento médico no Estado é importante para a população, se levarmos em conta as dimensões geográficas” 
*Serviços* – Projetado em área construída de 16.470,87 m², a estrutura de seis andares passará a ofertar, após a inauguração, atendimento de alta e média complexidade com 170 leitos operacionais  nas seguintes especialidades: clínicas médica, cirúrgica, pediátrica e obstétrica  e mais quatro leitos de isolamentos. Também haverá 53 leitos complementares sendo, leitos de UTI adulto, UTI pediátrica, (pré-parto, parto e puerpério), indução anestésica, de recuperação pós anestésica, recuperação imagenologia e 22 máquinas de hemodiálise.

*Térreo* – Espaço com ambientes projetados para atendimento de urgência e emergência, laboratório de anatomia patológica, reabilitação, terapia renal substitutiva (TRS), imagenologia (mamografia, ultrassonografia, ressonância magnética, tomografia, raio-x), métodos gráficos (teste ergométrico, eletrocardiograma, funções pulmonares, eletroneuromiografia, eletroencefalograma, mapa/holter), atendimento ambulatorial, almoxarifado, estar equipe/plantão, manutenção/oficinas, central de armazenamento de farmácias (CAF), central de material esterilizado (CME), serviço de nutrição e dietética (SND)/refeitório, lavanderia, vestiários, carga e descarga e estacionamento com capacidade para 42 veículos.

*Anexos* - O empreendimento em saúde em fase de conclusão em Itaituba, conta anexos destinados à estação de tratamento de esgoto (ETE). Abrigo de resíduos, gases, subestação, transformadores e guarita principal.

Fonte: http://plantao24horasnews.com.br em parceria com Governo do Estado

Postar um comentário

0 Comentários