[Latest News][6]

acidente
agressão
Amapa
Amapá
amazonas
apreensão
armas
arrombamento
assalto
atropelamento
Bahia
brasil
cocaína
condenados
destaque
detentos
droga
drogas
execução
grevistas
idoso
internacional
Itaituba
Kitsurfe
menores
motorista
navio
Óbidos
Polícia Federal
Polícia Militar
prefeita
prefeito
presos
recentes
reg
Regiao
região
Santarém
traficante
Traficantes

NOTÍCIAS

Mulher é condenada a 12 anos de prisão por morte de sargento da PM em Santarém.

Como não estava presa, à ré Silvana Lima Borges foi concedido o direito de apelar da sentença em liberdade.

Julgamento de Silvana Lima Borges durou mais de 15 horas (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Acusada de ter envenenado o marido Francisco Lima Borges, que era 2º sargento da Polícia Militar, e provocado a sua morte em 2 de maio de 2012, a ré Silvana Lima Borges foi levada a júri popular nesta sexta-feira (17) e após mais de 15 horas do início da sessão, ela foi considerada culpada e recebeu a pena de 12 anos e 6 meses de reclusão. Mas, como não estava presa durante o período do processo, terá o direito de recorrer da sentença em liberdade.

A sessão do júri que terminou por volta das 02h30 deste sábado (18) foi presidida pelo juiz Gabriel Veloso de Araújo. Na acusação, atuaram os promotores Renata Campos e Adleer Calderaro Sirotheau, na defesa, os advogados José Capual e Carlos Mota. Foram ouvidas 12 testemunhas e a ré Silvana Lima Borges.

Entenda o caso


O sargento Francisco Borges morreu no dia 2 de maio de 2012, aos 49 anos, após atendimento no Pronto Socorro Municipal de Santarém, onde deu entrada com sintomas de infarto.

Na ocasião, o médico que fez o atendimento, levantou a hipótese do sargento ter sido vítima de envenenamento. Foi então que a polícia começou a suspeitar da esposa e instaurou inquérito para investigações, sob o comando do delegado Djalma Pereira.

No bolso da bermuda que o sargento usava naquele dia, foi encontrada grande quantidade de medicamentos. Levantou-se também a possibilidade de Borges ter ingerido bebida alcoólica junto com os remédios que usava contra úlcera.

O laudo do IML apontou como causa da morte infarto do miócardio. Mas, uma nova perícia foi solicitada ao CPC Renato Chaves e o resultado foi juntado ao inquérito que subsidiou a denúncia do Ministério Público contra Silvana Lima Borges.

Fonte: G1 Santarém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Start typing and press Enter to search