[Latest News][6]

acidente
agressão
Amapa
Amapá
amazonas
apreensão
armas
arrombamento
assalto
atropelamento
Bahia
brasil
cocaína
condenados
destaque
detentos
droga
drogas
execução
grevistas
idoso
internacional
Itaituba
Kitsurfe
menores
motorista
navio
Óbidos
Polícia Federal
Polícia Militar
prefeita
prefeito
presos
recentes
reg
Regiao
região
Santarém
traficante
Traficantes

NOTÍCIAS

No Dia da Indústria, Estado reforça a atração de investimentos e de empregos

Rico em recursos naturais, o Pará apresenta o histórico de uma economia predominantemente extrativista e exportadora de matérias-primas. Mas o Governo do Estado vem estabelecendo bases para mudar este cenário, com vistas a alcançar a industrialização, por meio de projetos que articulam a verticalização (beneficiamento dos produtos in natura) em solo paraense. Além da posição de estado exportador, o Pará tem como meta alcançar o status de estado industrializador.



Para tanto, o Programa Pará 2030, lançado em 2016, tem alinhado diversas ações de incentivos fiscais, produção, pesquisa e capacitação da mão de obra como estratégias para atrair grandes empresas e promover a geração de empregos. Segundo dados do Departamento Interestadual de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), no ano passado, foram geradas 1.276 vagas na indústria.


Na última semana, durante a 9ª edição da Feira do Empreendedor, o Governo do Estado formalizou um termo de compromisso para a instalação de um novo empreendimento no setor de piscicultura em Cachoeira do Arari, no arquipélago do *Marajó*. A região de menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Pará segue atraindo investimentos para o desenvolvimento social e geração de postos de trabalho.

Além do Marajó, o Estado tem incentivado cadeias produtivas nas diversas regiões do Pará. A indústria do açaí mostra sua força nas regiões *Guamá* e *Tocantins*, com empresas situadas nos municípios de Castanhal, Igarapé- Miri, Barcarena e Abaetetuba. Já a indústria de biodiversidade leva investimentos ao município de Santa Izabel do Pará. A cadeia florestal vem sendo incentivada nas regiões *Rio Capim* e *Lago Tucuruí*, representadas pelos municípios de Paragominas e Breu Branco. Já as indústrias de grãos e pecuária têm atraído investimentos para Santarém, na região do *Baixo Amazonas*. A cadeia do óleo de palma vem crescendo nos municípios de Garrafão do Norte e Tomé-Açu, ambos pertencentes à região Rio Capim, e também em Moju, na região Tocantins. A pecuária recebe, ainda, incentivos nas regiões *Araguaia*, *Carajás* e *Tapajós*, representadas pelos municípios de Rio Maria, Xinguara, São João do Araguaia e Novo Progresso.     

Segundo o secretário adjunto da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Alex Moreira, o programa Pará 2030 tem sido a mola mestra para a retomada da confiabilidade de investidores nacionais e internacionais. “As ações do Estado de apoio à produção, licenciamento ambiental confiável, incentivos fiscais, regularização fundiária e tantas outras, têm trazido de volta a confiabilidade dos investidores ao Pará. Mas o compromisso do Estado é fechar parcerias com empresas interessadas em investir de forma sustentável e com contratação da mão de obra local. A política de incentivos fiscais está alinhada aos parâmetros de sustentabilidade”, explicou.

Fonte: http://plantao24horasnews.com.br em parceria com Thays Rosário Comunicação Regional/Secom

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Start typing and press Enter to search