Execução de pedreiro no Bairro da Paz pode ter sido crime passional

A primeira linha de investigação da Polícia Civil para desvendar o assassinato do pedreiro Diocleciano da Silva Moreira, 31 anos de idade, pode ser passional.


A vítima foi executada na manhã desta quarta-feira (22), com dois tiros de pistola 380 na cabeça, quando se encontrava sentada na frente de uma lanchonete, localizada na Rua Lauro Corona, entre as ruas Sol Poente e Marabá, Bairro da Paz, em Parauapebas.

De acordo com informações obtidas pela reportagem, Diocleciano Moreira saiu de casa para fazer reboco de uma parede ao lado da lanchonete onde ocorreu o crime. Minutos antes de iniciar o serviço, ele se dirigiu à lanchonete, sentou-se numa cadeira para tomar café, quando foi surpreendido pelos assassinos, um homem e uma mulher, que estariam usando uma motocicleta de placa e modelo não anotados.

Segundo adiantou a delegada Yanna Azevedo, da Divisão de Homicídios da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, dias atrás o pedreiro se envolvera em uma briga com a ex-namorada, momento em que teria agredido a mesma.

Por outro lado, informações de familiares da vítima dão conta que Diocleciano Moreira era uma pessoa tranquila, pacata e que não tinha inimigos.

As autoridades policiais esperam que as câmeras de vigilância nas lojas localizadas nas imediações possam auxiliar na identificação e busca aos autores do crime. 

Fonte: Blog  Vela Preta (Waldyr Silva)

Postar um comentário

0 Comentários