POLÍCIA CÍVIL PRENDE TRÊS HOMENS ACUSADOS DE TER MATADO VEREADOR DE SENADOR JOSÉ PORFIRIO, O TRIO CONFESSOU O CRIME.

No último domingo (02/09/2018), por volta das 09:00hrs da manhã, o vereador do Município de Senador José Porfirio, Izoeldo Batista foi assassinado a tiro quando estava chegando na sua chácara, pilotando uma motocicleta, na Zona Rural de Senador José Porfírio, a Cerca 70 km de Altamira.


Inteligentemente a Polícia Civil coletou informações que um dos suspeitos seria o Sr Benedito Sales de Freitas, conhecido por “BENE” que teria assassinado o vereador Izoeldo Porque, segundo informações, havia mantido um relacionamento extraconjugal com sua esposa.

A Polícia Cívil então, iniciou buscas pelo suspeito Benedito Sales de  Freitas que foi preso com duas Espingardas e munições na última segunda-feira (03/09/2018), na Zona Rural de Senador José Porfirio na primeira fase da “OPERAÇÃO DESENREDO”. Em continuidade as investigações e na quinta-feira (06/09/2018), a Polícia Civil, deflagrou a segunda fase da Operação "DESENREDO", diligenciado a comunidade ressaca na  Assurini Zona Rural de Senador José Porfírio, no sentido de apreender a arma de fogo utilizada para Matar o vereador Izoeldo Batista Guedes e prender os demais envolvidos no crime, obtendo êxito com
prisão de mais dois acusados, eles São José Ailton Bezerra e Raimundo Freitas da Silva, os quais confessaram o homicídio e a participação de Benedito Sales de Freitas, bem como entregaram a espingarda utilizada para matar a vítima.

A espingarda, munições e luvas utilizadas no crime, foram apreendidas na propriedade de Benedito, enterrada de baixo de uma tora de árvore.  

Na Delegacia Benedito Freitas da Silva, após acareação com José Ailton Bezerra e Raimundo Freitas da Silva, Confessou que foi quem efetuou o disparo no Vereador na companhia de José Ailton, enquanto Raimundo foi quem teria comprado a espingarda.

Segundo foi apurado, Benedito, José  Aílton e Raimundo Concluio arquitetaram e mataram o vereador Izoeldo motivados por ciúmes de suas esposas que supostamente tinham casos extraconjugais com a vítima segundo as informações.

A Operação Desenredo, refere-se ao conto da obra Tutámeia de Guimarães Rosa que desmente a tradicional honra masculina, que se lava com sangue, e no caso não lava.
Participaram da Operação Desenredo, 22º Segunda Seccional de Altamira, NAI, Delegacia de Homicídio e Superintendia Regional do Xingu.

(Resumo da Informação e texto Carlos Calaça Com as Informações da Polícia Cívil de Altamira).

Postar um comentário

0 Comentários