PF desarticula esquema de extração ilegal de madeira que movimentava R$2 milhões

(Foto: Arquivo/Ag. Brasil)

Um esquema criminoso de extração e comércio ilegal de madeiras provenientes de terra indígena do Alto do Rio Guamá, no sudoeste paraense, foi desarticulado pela Polícia Federal, nesta quinta-feira (30), durante a operação Operação Tenetehara.
Durante a manhã de hoje estão sendo cumpridos 10 mandados judiciais, sendo 5 mandados de prisão preventiva e 5 de busca e apreensão, nos municípios de Belém, Viseu e Santa Luzia do Pará.  

As investigações iniciaram no início deste ano com o intuito de identificar responsáveis por desmatamento no interior da terra indígena. Foram localizadas 4 madeireiras que operavam clandestinamente, retirando ilegalmente madeira de área federal e comercializando o produto do crime em municípios do Pará, Estados do Nordeste, além do Rio de Janeiro.

No período das investigações também foi realizada fiscalização pela Secretaria de Meio ambiente do Estado com o objetivo de apreender os produtos florestais extraídos e comercializados ilegalmente, bem como auxiliar na materialidade delitiva dos crimes investigados.

A Polícia Federal estima que, por mês, eram retirados da área aproximadamente 4 mil metros cúbicos de madeira, o que representa em termos financeiros o montante de R$ 2.200.000,00 (dois milhões e duzentos mil reais).

Participam da operação 28 policiais federais. Os investigados responderão, além dos crimes ambientais, pelos crimes de receptação qualificada, corrupção ativa e passiva, com pena máxima de até 12 anos de reclusão.

REFERÊNCIA
O nome da operação faz referência à tribo habitante na Terra Indígena e significa “donos do cocar”.

(Por Folha do Progresso com informações da Polícia Federal)

Postar um comentário

0 Comentários