Mulher é condenada a 12 anos de prisão por morte de sargento da PM em Santarém.

Como não estava presa, à ré Silvana Lima Borges foi concedido o direito de apelar da sentença em liberdade.

Julgamento de Silvana Lima Borges durou mais de 15 horas (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Acusada de ter envenenado o marido Francisco Lima Borges, que era 2º sargento da Polícia Militar, e provocado a sua morte em 2 de maio de 2012, a ré Silvana Lima Borges foi levada a júri popular nesta sexta-feira (17) e após mais de 15 horas do início da sessão, ela foi considerada culpada e recebeu a pena de 12 anos e 6 meses de reclusão. Mas, como não estava presa durante o período do processo, terá o direito de recorrer da sentença em liberdade.

A sessão do júri que terminou por volta das 02h30 deste sábado (18) foi presidida pelo juiz Gabriel Veloso de Araújo. Na acusação, atuaram os promotores Renata Campos e Adleer Calderaro Sirotheau, na defesa, os advogados José Capual e Carlos Mota. Foram ouvidas 12 testemunhas e a ré Silvana Lima Borges.

Entenda o caso


O sargento Francisco Borges morreu no dia 2 de maio de 2012, aos 49 anos, após atendimento no Pronto Socorro Municipal de Santarém, onde deu entrada com sintomas de infarto.

Na ocasião, o médico que fez o atendimento, levantou a hipótese do sargento ter sido vítima de envenenamento. Foi então que a polícia começou a suspeitar da esposa e instaurou inquérito para investigações, sob o comando do delegado Djalma Pereira.

No bolso da bermuda que o sargento usava naquele dia, foi encontrada grande quantidade de medicamentos. Levantou-se também a possibilidade de Borges ter ingerido bebida alcoólica junto com os remédios que usava contra úlcera.

O laudo do IML apontou como causa da morte infarto do miócardio. Mas, uma nova perícia foi solicitada ao CPC Renato Chaves e o resultado foi juntado ao inquérito que subsidiou a denúncia do Ministério Público contra Silvana Lima Borges.

Fonte: G1 Santarém.

Postar um comentário

0 Comentários