Interdição da Rodovia Transamazônica em Rurópolis chega ao terceiro dia

Passagem de veículos é permitida apenas de 12 em 12 horas; lideranças do movimento foram a Brasília para uma reunião com o ministro dos transportes as 11h desta quarta.

Carros em fila, esperando a estrada abrir para seguir viagem.

O SINTRAF e parceria com várias associações, de Rurópolis e região, encabeçou o movimento, que está fechando a rodovia transamazônica, no km 125, na comunidade Novo Horizonte, próximo a cidade de Rurópolis, desde segunda feira.

Na manhã desta quarta-feira (08), o presidente do SINTRAF, senhor Antônio Evangelista, conhecido como Caracol, acompanhado do prefeito de Rurópolis, senhor Joselino Padilha, também conhecido como Taká, e o representante da Feira da Agricultura familiar, Cláudio Santos, desembarcaram em Brasília – DF, para uma reunião com ministro dos transportes.

“Enviamos vários ofícios para o DNIT, desde 14 de janeiro e nada resposta, por isso resolvemos fechar a estrada. Estamos aqui em Brasília porque queremos uma segurança, e não vamos parar a manifestação enquanto não houver uma garantia satisfatória”, diz o líder do movimento.

Pautas de reivindicações do movimento.

O protesto iniciou segunda-feira, dia 06, onde a princípio a estrada foi fechada, sendo liberada a passagem de veículos somente de 6 em 6 horas, pouco tempo depois, os manifestantes ficaram ainda mais rígidos, e decidiram abrir passagem, somente de 12 em 12h. De acordo com líder do SINTRA, Sr Caracol , se não houver uma garantia das autoridades competentes, o tempo de bloqueio aumentará para 24 horas.

As difíceis condições de tráfego na Transamazônica, sempre causaram grandes transtornos para os usuários da rodovia federal. Mesmo com os trabalhos de pavimentação iniciados há l quase uma década, ainda existem vários trechos em péssimas condições, pontes inacabadas, e outros problemas, o que causa grandes prejuízos para toda a região.

O movimento é organizado pelo SINTRAF, feira da agricultura familiar, Associação dos comerciantes de Rurópolis, Associação Terra Viva do km 40, Associação do km 100, Associação dos moto-taxistas de Rurópolis, e tem apoio de empresas de toda a região.

Reportagem: Eduardo Brito (da redação)

Postar um comentário

0 Comentários