Acrobacias aéreas da Esquadrilha da Fumaça atraem 60 mil pessoas para Estação das Docas em Belém.

O céu típico do verão de Belém apresentou um azul ainda mais bonito nessa quarta-feira, 25, durante os 40 minutos de apresentação do Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA), mais conhecido como Esquadrilha da Fumaça, realizada em frente à Estação das Docas. Cerca de 60 mil pessoas foram até o ponto turístico conferir o show de acrobacias aéreas dos sete pilotos da Força Aérea Brasileira (FAB). A última vez que o EDA esteve em Belém foi em 2011.


O tenente Eduardo Marques, oficial de comunicação da Esquadrilha falou sobre a satisfação de retornar a Belém depois de sete anos. “A novidade são os novos aviões, estamos pela primeira vez com os A-29 Super Tucanos. Essas aeronaves guarnecem as fronteiras do nosso país. São aviões de ataque projetados para levar armamentos. Na categoria, é o melhor que há no mundo, então é muito importante apresentar o avião, porque a tecnologia é 100% nacional, motivo de muito orgulho para nós”, pontuou.


As demonstrações também serão realizadas em mais uma cidade do Norte do país, Porto Nacional, no Tocantins, e em 10 cidades da região Nordeste, completando um tour do Esquadrão pelo Norte-Nordeste do país. 


Ainda segundo Marques, serão 20 dias fora de casa apresentando as manobras, com o objetivo de difundir a imagem da FAB.
“São cerca de 50 manobras no céu, com cruzamento de aviões, sete aeronaves voando perto uma da outra, e aquele rastro característico do Esquadrão. A gente faz o nosso trabalho para agradar o público. Hoje é um grande dia e esperamos que todos gostem”, concluiu o tenente.


O espetáculo aéreo foi comandado por sete pilotos, o tenente-coronel aviador Marcelo Oliveira Silva, comandante do Esquadrão, o único que não deixa de participar das apresentações; o major aviador Cléryson Wander Teixeira; o capitão aviador Lucas Pacheco Yoshida; o capitão aviador Glauber Lage Moreira Claver Silva; o capitão aviador Gustavo de Azevedo Natalício; o major aviador José de Almeida Pimentel Neto; e o major aviador Daniel Garcia Pereira – este último considerado o mais experiente da equipe.


Belém na rota da Esquadrilha

Para o brigadeiro Ricardo José Campos, comandante da Guarnição de Aeronáutica de Belém, trazer a apresentação para Belém demonstra a importância que a região tem para a FAB e para as Forças Armadas de forma geral. O circuito de visitas às cidades faz parte da comemoração pelos 145 anos de Santos Dumont.

“Por isso, a FAB está fazendo a divulgação dos eventos no Brasil inteiro. No Pará, eu, felizmente, conheço a maioria dos representantes de governo, do Estado, dos municípios, da Marinha, do Exército, Corpo de Bombeiros, então pensei na possibilidade de juntar todo mundo e mostrar a integração de todos esses órgãos no Pará, que é muito forte. Fizemos várias reuniões para a coordenação do evento e, graças a Deus, deu certo. A Esquadrilha estava parada há uns anos e na retomada já está em Belém novamente”, comemora o brigadeiro da Aeronática.

Público lotou a Estação das Docas
Famílias inteiras se reuniram para conferir o espetáculo na tarde desta quarta. A universitária Tifanny Farias, de 37 anos, assistiu pela primeira vez. “Sempre assisto pela televisão e pelo que as pessoas falavam era lindo. Nunca vi ao vivo e não é todo dia que tem um espetáculo desses para assistir em Belém. Fiquei muito feliz porque ainda pude trazer as crianças para assistir comigo”, afirmou a jovem, que foi com a mãe e levou as filhas Rebeca, ainda no colo, e Giovana.

Para alguns dos expectadores, a aviação é simplesmente encantadora. É o caso do professor Clayton Costa, que vê com muita admiração a experiência dos pilotos. “Vim junto com a família, minha mulher e filhas, porque sei que eles vão fazer um espetáculo formidável. A ansiedade tomou conta”, disse ele, que também participou pela primeira vez de um show do EDA.

A Estação das Docas também ficou tomada de jovens, muitos estudantes. Eduardo Lopes, estudante do curso de biblioteconomia da Universidade Federal do Pará (UFPA), foi direto do estágio para não perder a apresentação. “Eu soube por um amigo, então falei com a minha tia, minha mãe, meus irmãos e primos, todo mundo veio junto. Encontrei por acaso com os meus amigos, e estão vindo mais outros amigos nossos. Para mim, é uma sensação inédita, fiquei super ansioso”, admitiu.

Integração

O coronel Zanelli Nascimento, do Corpo de Bombeiros, esteve no evento representando o Governador do Estado, Simão Jatene. Ele também reforçou a importância da proximidade entre as forças armadas e auxiliares e o próprio Governo para que a apresentação fosse trazida para Belém.

“Em depoimento, oficiais e generais deixam claro que essa integração, esse sentimento com o Governo de uma forma geral é único levando em conta os outros estados brasileiros, devido ao acolhimento do público paraense. E foi por essa acolhida que programaram e trouxeram para essa atração magnífica de conhecimento mundial. Se a gente pode determinar em palavras o que significa esse momento, essas palavras são integração e respeito pelo público paraense”, finalizou.

Os militares, entre oficiais e graduados, iniciaram o tour em Salvador, na Bahia, no dia 14 de junho, e só encerram a programação no próximo dia 27 de julho, em Barreiras (BA). As demais cidades a receberem o circuito são Aracaju (SE), Recife (PE), Natal (RN), Fortaleza (CE), Umirim (CE), Jericoacoara (CE), São Luís (MA) e Imperatriz (MA).

Exposição

Também foi possível conferir exposições no Armazém 3 da Estação das Docas, de 10h às 22h. Materiais como fardamentos e veículos, informações sobre as formas de ingresso na Marinha, Exército e Aeronáutica, além de uma programação infantil, foram disponibilizados para os visitantes. Bandas de música do Corpo de Bombeiros e das três instituições das Forças Armadas também se apresentaram.

História

Com mais de 3.800 demonstrações realizadas no Brasil e em 21 países, a Esquadrilha da Fumaça representa para milhares de pessoas a oportunidade de estabelecer contato, de maneira emocionante e inesquecível, com a Força Aérea Brasileira. Toda apresentação conta com sete pilotos em sete aeronaves. Cada posição de vôo tem uma função específica. Um oitavo piloto fica em solo realizando a locução.

Fonte: http://plantao24horasnews.com.br em Parceria com Natália Melo/Agência Pará.
Fotos: Rodolfo Oliveira e Sidney Oliveira / Agência Pará

Postar um comentário

0 Comentários