Região

Dúvidas sobre planejamento financeiro? Especialista do Banpará dá as orientações

Fazer saque, retirada de extrato, consultar saldo e pagar boletos são procedimentos rotineiros para a maioria da população, principalmente no período de pagamento dos salários. Porém, o que muitos não sabem (ou esquecem) é que o excesso de operações bancárias gera taxas extras, que podem ser evitadas com a redução das idas ao banco.


Para conter gastos que influenciam no orçamento, a Agência Pará convidou o especialista em Gestão Financeira Thiago Jayme Sousa, superintendente de Administração Financeira do Banco do Estado do Pará (Banpará), para orientar sobre planejamento familiar financeiro e uso consciente dos serviços bancários. Atualmente, o Banpará conta com 116 agências, em 98 dos 144 municípios paraenses, sendo 15 na Região Metropolitana de Belém e 101 agências no interior.

O banco também possui 22 Pontos de Atendimentos (PAs) na capital e 10 no interior, onde os clientes e demais usuários podem fazer as mesmas operações realizadas nas agências, além de 69 caixas eletrônicos, distribuídos pelo imenso território paraense. A instituição bancária disponibiliza ainda plataformas digitais online para transações, como Internet Banking e App Banpará.

Pacotes bancários - Segundo Thiago Jayme Sousa, vários extratos e saques frequentes são as maiores causas do excesso de serviços efetuados pelos clientes nos caixas eletrônicos. Geralmente, segundo ele, o motivo é o desconhecimento das taxas e serviços cobrados pelas instituições bancárias. Por isso, é importante entender os pacotes que os bancos oferecem aos clientes. “Hoje, a gente proporciona aos clientes quatro níveis de atendimento, que vai do pacote básico de R$ 15,50 ao mais robusto, que custa R$ 38,90. A orientação é escolher um pacote com tarifas e serviços de acordo com a sua realidade bancária”, informou.

Portanto, antes de se assustar com as taxas a mais ao consultar extrato ou saldo, é bom saber que o Banpará oferece uma tabela de serviços essenciais para o cliente que movimenta pouco a conta corrente – sem ida frequente ao caixa eletrônico, uso controlado de folhas de cheques (10 por mês), poucos saques (quatro por mês, sendo um por semana), extrato dos últimos 30 dias em guichê de caixa ou terminal de auto-atendimento (dois por mês), transferência entre contas na própria instituição (duas por mês). No caso de conta poupança, também podem ser efetuados mensalmente dois saques, retirados dois extratos dos últimos 30 dias e feitas duas transferências entre contas na própria instituição.

Empréstimos - A orientação de Thiago Jayme Sousa sobre empréstimos é que sejam usados somente em emergências. “De fato, o banco oferece as menores taxas de mercado, com prazos convidativos, mas o cliente deve consumir o crédito de forma muito responsável, para não atrapalhar o planejamento financeiro e cair no endividamento”, alertou, ressaltando que um aspecto importante é que os gastos não devem ultrapassar o limite dos ganhos. “Temos que ter a maturidade de não utilizar bens e serviços que não podemos sustentar, com um padrão de vida que não condiz com a realidade financeira e patrimonial, simplesmente por pressão social de consumo e falsa imagem de sucesso”, reiterou o especialista em Gestão Financeira.

Em casos de renegociação de empréstimos, por conta de redução de vencimentos ou exonerações, o cliente deve procurar o gerente da agência bancária, que fará o levantamento da situação e apresentará a proposta de renegociação da dívida. “O banco não atua com correspondentes bancários. Portanto, todas as negociações são feitas dentro da unidade. Esse é um alerta para que ninguém seja cooptado por terceiros que oferecem soluções mágicas para acabar com a dívida”, enfatizou Thiago Jayme Sousa.

Organizar finanças - Para os clientes cujos gastos extrapolam o orçamento mensal e precisam organizar as finanças pessoais, a orientação do especialista é a elaboração de um planejamento financeiro, que sirva tanto para organizar o presente, quanto planejar o futuro, até mesmo em longo prazo.

O passo a passo, segundo ele, está alicerçado em três aspectos: Como gerar renda? Como gastar? Como poupar? As soluções, disse ele, pode parecer simples ao falar, mas não tão fáceis de executar. “Não existe fórmula mágica, mas sim a disciplina para alcançar os objetivos. O que tornará essa tarefa fácil ou difícil é quão conhecemos nossos objetivos. Por outro lado, para avançarmos na discussão do planejamento financeiro é preciso definir muito bem os objetivos de curto, médio e longo prazo”, reiterou.

A orientação é que todos os membros da família participem da elaboração desses objetivos e se mantenham firmes para alcançar os objetivos. A elaboração do planejamento também requer uma planilha, cujo modelo pode ser encontrado na internet as gratuitamente. Também são encontradas em canais e perfis nas principais redes sociais informações sobre a elaboração do planejamento financeiro.

Principais orientações:

1 - Conhecer seus objetivos

Quando o cliente sabe seus objetivos, começa a trabalhar em prol deles. Por isso, é importante mapear a fonte de renda e a fonte de receita, e depois traçar os objetivos para saber o que se quer de imediato ou em longo prazo, como férias, troca de carro ou compra da casa própria.

2 - Descrever tudo o que ganha

É importante saber exatamente quanto ganha e anotar tudo. Não pode incluir o limite do cheque especial.

3 - Mapear todas as despesas

Despesas fixas: Cortar os supérfluos não é o suficiente. O controle e o corte dos custos fixos trazem melhores resultados para a economia familiar. Cortar ou diminuir despesas fixas pode parecer mais simples do que parece. Porém, simples não significa fácil. É preciso ter disciplina para verificar o que é necessário cortar, como redução do plano de telefonia ou TV a cabo, ter um consumo de energia e água mais consciente, pegar transporte público ao invés de usar o carro algumas vezes por mês e verificar se realmente é necessário ter dois carros na garagem.

Despesas variáveis: Apesar de entender que o controle sobre as despesas fixas traz um resultado melhor, não se pode negligenciar as despesas variáveis, aquelas pequenas despesas do dia a dia, como um lanche no meio da tarde, que vai se somando a outros gastos impulsivos. É importante controlar os impulsos e focar nos objetivos.

4 - Hora de investir

A dica de ouro é: Jamais guarde o que sobrar! Sempre guarde antes de gastar. Sempre que deixamos para poupar o que sobra, temos a impressão que podemos gastar mais um pouco, e somos levados pelo impulso de consumir. Este é um modelo mental que reforça um comportamento lesivo ao alcance dos objetivos. Quando conseguimos mudar este modelo mental, criamos o hábito de receber nossos rendimentos e já determinar um percentual que não poderemos utilizar para o consumo, e sim para nossos objetivos, elaborados no início do planejamento. Assim, as chances de construir um patrimônio e atingir os resultados projetados são maiores.

Municípios com serviços do Banpará

Abaetetuba, Abel Figueiredo, Acará, Afuá, Água Azul do Norte, Alenquer, Almeirim, Altamira, Anajás, Anapu, Augusto Corrêa, Aurora do Pará, Baião, Barcarena, Benevides, Bom Jesus do Tocantins, Bonito, Bragança, Brejo Grande do Araguaia, Breu Branco, Breves, Bujaru, Cachoeira do Arari, Cametá, Canaã dos Carajás, Capanema, Capitão Poço, Castanhal, Conceição do Araguaia, Concórdia do Pará, Curionópolis, Curralinho, Curuá, Curuçá, Dom Eliseu, Eldorado do Carajás, Faro, Floresta do Araguaia, Garrafão do Norte, Goianésia do Pará, Igarapé-Açu, Igarapé-Miri, Ipixuna do Pará, Itaituba, Itupiranga, Jacundá, Juruti, Limoeiro do Ajuru, Marabá, Maracanã, Marapanim, Marituba, Medicilândia, Melgaço, Moju, Mojuí dos Campos, Monte Alegre, Muaná, Novo Progresso, Óbidos, Oriximiná, Ourilândia do Norte, Paragominas, Parauapebas, Primavera, Ponta de Pedras, Redenção, Rio Maria, Rondon do Pará, Salinópolis, Salvaterra, Santa Bárbara do Pará, Santa Izabel do Pará, Santa Luzia do Pará, Santa Maria do Pará, Santana do Araguaia, Santarém, Santo Antônio do Tauá, São Caetano de Odivelas, São Félix do Xingu, São Geraldo do Araguaia, São João de Pirabas, São Miguel do Guamá, Sapucaia, Soure, Tailândia, Terra Santa, Tracuateua, Trairão, Tomé Açu, Tucumã, Tucuruí, Vigia de Nazaré, Viseu, Vitória do Xingu e Xinguara.

Post: Plantão 24horas News
Por Julie Rocha/Agência Pará 

Postar um comentário

0 Comentários