Top Ad unit 728 × 90

Altamira: Bando de capivaras é flagrado na Ilha do Arapujá, devastada pela supressão vegetal

“Tomei um susto, foi incrível, fiquei muito feliz quando vi elas ali” disse o piloto do drone que fez o registro

O sobrevoo na Ilha estava foi no domingo (3), por volta das 17:20h, e estava sendo feito por um drone modelo Mavic Pro, um desses aparelhos voadores remotamente controlado do solo, com câmera à bordo, quem estava no comando do Drone era Vitor Hugo Souza. O amante por vôos com esse tipo de equipamento, diz que não esperava encontrar animais no local que sofreu forte devastação, com a derrubada total da mata original que cobria a Ilha do Arapujá (Ilha do Capacete), em frente à cidade de Altamira, no sudoeste do Pará. Vitor apenas apreciava a paisagem e testava alguns comandos do equipamento como de costume.

“Na hora que eu percebi, tinha algo se movimentando na imagem, aproximei do solo e percebi que era algum tipo de animal, e não era pássaros, daí vi que eram capivaras, na verdade um bando” disse Vítor Hugo

Os animais estavam em uma área com bastante grama e poças de lama, onde se refrescavam. Em um dado momento foi possível registrar um filhote mamando na mãe, o bando composto por pelo menos 3 adultos e 9 indivíduos de meia idade não se incomodou com o drone, mas o vislumbre com os animais não durou muito, a pouca autonomia de vôo fez com que o piloto retornasse com o aparelho para Altamira e o bando continuou pastando na Ilha. Segundo Vítor Hugo, ele só não divulgou logo as imagens com receio que alguém fosse ao local para caçar os animais.

“Acredito que devermos preservar tudo isso, a floresta precisa de tempo para se regenerar e todo tipo de vida ao redor, precisa de tempo para voltar a habitar esses espaços” disse Vitor

O Xingu230 procurou o biólogo Rodolfo Salm, professor de Ecologia da faculdade de Biologia da Universidade Federal do Para, campus de Altamira, para explicar esse aparecimento de animais como a capivara em uma área devastada tão drasticamente. Segundo o professor a grande quantidade de alimento fez com que as capivaras se aproximassem tanto da cidade.

“As capivaras até se beneficiaram dessa supressão vegetal, uma vez que a gramínea que alimenta esses animais se multiplicou com a derrubada das árvores, de certa forma, para as capivaras isso foi positivo, por isso vemos esses indivíduos em bandos por aqui. Vale lembrar que a devastação da Ilha em frente Altamira, na minha opinião foi uma tragédia para a cidade, meio ambiente e população, além de alguns animais que perderam espaço como; tamanduá de colete, macacos e outros” detalhou Rodolfo

Sobre o bando ser de 12 indivíduos, um número expressivo de animais tão perto do barulho da cidade, o biólogo esclarece que esse tipo de roedor tem uma taxa de reprodução consideravelmente alta.

“A taxa reprodutiva da capivara é muito alta e isso faz com que resistam à caça e tenhamos muitos indivíduos mesmo ao redor da cidade, são animais roedores e com muitas condições de sobrevivência em casos como desmatamento ou incêndio na mata” Explica o biólogo

Entenda mais sobre a
SUPRESSÃO VEGETAL

- A ilha foi devastada por máquinas da Norte Energia em Agosto de 2015, árvores foram derrubadas após uma determinação do IBAMA, com a justificativa de dar lugar ao lago da Usina Hidrelétrica de Belo Monte.

- Manifestações pediam a paralisação da supressão vegetal em Novembro do mesmo ano (http://assessoriajuridicapopular.blogspot.com.br/2015/11/abracos-destruicoes-e-belo-monte-o.html?m=1).

Por: Felype Adms | Xingu230

OBS:

Aos nossos leitores e seguidores, vale uma informação importante sobre o risco de mostrar os animais assim, mostrando a caçadores.

Primeiro: com a mata baixa, esses animais que são bem astutos fogem imediatamente.

Segundo: segundo biólogos, a capivara tem alta taxa de procriação como explica a matéria.

Terceiro: Elas não ficam sem poder sair da ilha, pois são ótimas na água, fugindo para outros locais com muita facilidade.

Quarto: A caça já ocorre a muito tempo, porém elas resistem e também pode ser encontradas no Igarapé Altamira e Ambé como já registramos outras vezes. Em alguns casos até entram na área de residências.

Quinto: As capivaras não são residentes da Ilha, elas ficam um período depois saem para outros locais, um método de sobrevivência instintivo.

Esperamos ter alcançado a meta de mostrar que após a devastação, os animais estão voltando a habitar um local que está se regenerando. Esses animais estão presentes em muitas e muitas ilhas do Xingu. A capivara não está na lista de animais em extinção.

Agradecemos a compreensão de todos.

Fonte: Xingu230

Altamira: Bando de capivaras é flagrado na Ilha do Arapujá, devastada pela supressão vegetal Reviewed by Weslen Reis on 07:04:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Todos os direitos reservados Plantão 24horas News © 2017
Powered by Blogger, Customizado por: Ideal Comunicação

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.